(51) 3211-0879

A Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz) realizou uma série de reuniões com os candidatos ao governo do Rio Grande do Sul. Nesta quinta-feira, 4 de setembro, a diretoria da entidade recebeu na sede da federação o candidato Jairo Jorge (PDT), acompanhado do prefeito de Tapes, Sílvio Rafaeli (PDT), que ouviu as demandas do setor arrozeiro, que tem sido prejudicado nos últimos anos pela falta de competitividade no mercado devido a entraves burocráticos.

Entre os assuntos tratados estiveram na pauta a discussão sobre modificações temporárias do ICMS do arroz do Rio Grande do Sul como forma de gerar competitividade ao grão gaúcho e aumento da arrecadação do Estado. Há quase dois anos a Federarroz vem solicitando a redução. O pedido foi de uma redução temporária de 12% e 7% para 7% e 4% para escoamento do produto como forma a sustentar melhores cotações aos produtores.

Nesta pauta, o candidato se comprometeu com o pedido dos arrozeiros com a diminuição temporária por 90 dias do ICMS durante o período da colheita do grão. Em relação à Taxa de Contribuição de Desenvolvimento Orizícola (CDO), Jairo Jorge afirmou liberar um valor de 33% a mais do que vem sendo repassado anualmente durante os três primeiros anos, chegando a 100% do valor no final do período, como forma de reconhecimento de que o fundo é para o produtor. Sobre o Porto de Rio Grande, o candidato informou que vai garantir o escoamento da produção de arroz pelos terminais locais.

Para o vice-presidente da Federarroz, Alexandre Velho, o candidato mostrou conhecimento com relação ao setor e às necessidades dos orizicultores. A entidade realizou agendas com outros candidatos, como Eduardo Leite (PSDB) e José Paulo Cairoli (PSD), representando o atual governador do Estado e candidato à reeleição, José Ivo Sartori (MDB), levando as propostas de cada um em relação à orizicultura gaúcha, que responde por cerca de 70% da produção nacional do grão.